Teoria de Gênero: Inconstitucionalidade e violação dos direitos da família

Confira o artigo do pastor Roberto de Lucena, deputado federal licenciado e atual Secretário de Turismo do Estado de São Paulo, publicado no portal Gospel Prime

 

Roberto de Lucena

Roberto de Lucena

por Roberto de Lucena

A Família tradicional vive dias em que seus direitos – antes invioláveis – estão sendo cerceados por grupos que chegam a usar de vias inconstitucionais para incluir na legislação, propostas desrespeitam, não apenas o que é chamado atualmente de ‘fundamentalismo’ por estes militantes, mas chegam a atentar contra direitos previstos na própria Constituição do nosso País, como, por exemplo, nos parágrafos VI ao XI do Artigo 5º.

Já tendo sido derrubada em votação anterior no Congresso Nacional, a ideologia de gênero volta a ser motivo de preocupação para famílias, psicólogos, parlamentares e até mesmo educadores – independentemente de qualquer opção religiosa. A proposta representa uma violação de um direito que cabe apenas aos pais com relação à criança: educá-la com relação à identidade de gênero (masculino/feminino), segundo suas crenças e cultura.

Segundo a proposta, quem vai decidir o desenvolvimento de seu gênero é a própria criança, orientada pelos educadores (professores das escola), podendo ignorar até mesmo o seu gênero, já pré-definido deste a época da gestação.

Além de ir contra a própria a natureza humana (Gn 1:27), a ideologia de gênero chega às Câmaras Municipais, desrespeitando a hierarquia existente no processo legislativo. Como já foi muito explicado pelo promotor da Infância, Adolescência e Juventude do Mato Grosso do Sul, Sérgio Harfouche, em um vídeo que tem circulado nas mídias sociais, a inclusão da proposta de ideologia de gênero nos Planos Municipais de Educação – que estão sendo apresentados nos municípios de todo o Brasil durante estes dias – é inconstitucional, pois ignora uma decisão já votada em caráter federal.

Um povo que conhece o seu sistema legislativo e cobra de seus parlamentares, de seus representantes dificilmente será enganado. Desta forma, não apenas como cristãos, mas como cidadãos e defensores de nossas famílias que somos, devemos estar atentos tais manobras que atentam contra nossos direitos.

Me alegro em ver que cada vez mais, cidadãos de diversos municípios em nosso país têm se posicionado contra esta proposta absurda.

Parabenizo aos que têm lutado em favor da Família e continuo encorajando a todos, que se informem sobre as atividades das Câmaras Municipais em suas cidades, para que continuemos somando conquistas para o bem da sociedade.

*Link do vídeo no qual o promotor Sérgio Harfouche fala sobre a ideologia de Gênero: https://www.youtube.com/watch?v=WrSkkKcIux4

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Receba nossas Informações