Roberto de Lucena quer o fim do voto secreto na Câmara Federal

FOTO PADRÃO

Um dia após a Câmara dos Deputados decidir pela não cassação do deputado Natan Donadon, que foi condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e cumpre pena no presídio, em Brasília, o deputado federal Roberto de Lucena (PV) cobrou o fim do voto secreto nas sessões do Parlamento.

O deputado eleito por São Paulo destacou que não cabe ao Congresso Nacional o papel de “Casa revisora” e que, mesmo sem discutir a decisão do STF, entende que a sessão que manteve os direitos políticos de Donadon foi um episódio de grande constrangimento para a Câmara Federal.

“Eu lamento profundamente os acontecimentos que envolveram esta Casa na sessão extraordinária de ontem, que enviou ao País uma mensagem negativa e confusa. Não discuto o mérito da decisão, mas lamento a imagem que foi transmitida”, disse Roberto de Lucena.

O deputado federal reiterou sua posição favorável ao fim do voto secreto nas sessões do Parlamento para que a sociedade possa acompanhar, voto por voto, o posicionamento dos seus representantes diante de todos os temas e também como uma forma de combater o corporativismo.

“Esta Casa não merecia passar pelo constrangimento de ontem, tampouco o povo brasileiro. O voto secreto representa uma fonte de tristeza e frustração para os deputados que votam de forma independente e orientados por suas convicções. O voto secreto priva os cidadãos brasileiros do direito de saber como votam seus representantes”, desabafou Roberto de Lucena.

 

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Receba nossas Informações