Roberto de Lucena posiciona-se contra a liberação de bebidas alcoólicas nos estádios da Copa de 2014

Sr. Presidente Amauri Teixeira, ilustre Deputada Liliam Sá, demais Sras. e Srs. Parlamentares, esta Casa prepara-se para apreciar na próxima semana, neste plenário, a Lei Geral da Copa.
Alguns pontos da proposta que será analisada trazem-nos preocupações, e certamente serão alvo de importantes debates.
Chamo a atenção de V.Exas. neste momento para um ponto em especial: a liberação da venda de bebidas alcóolicas dentro dos estádios de futebol.
Após a reunião do Colégio de Líderes, ontem, teria havido a informação de que esse ponto não havia sido objeto de negociação entre o Governo Federal e a FIFA; no entanto, essa informação foi hoje revista, e o Relator da proposta, Deputado Vicente Candido, manterá no seu relatório o texto tal como estava.
Eu quero aqui aplaudir o que disse o Presidente Marco Maia a respeito desse assunto, no sentido de que o Parlamento não pode ser pressionado por interesses da FIFA, e o País, por ser democrático, discute exaustivamente todos os temas. O Presidente acrescentou que a venda de bebidas nos estádios é questão complexa, e sua liberação altera regras já existentes.
Muitas são as nossas preocupações em relação a esse assunto. Nada justifica esse retrocesso que se anuncia em relação à legislação existente, que proíbe a venda de bebidas alcoólicas e que faz parte de um processo em andamento no País de enfrentamento de um dos maiores males desta Nação, maior inclusive do que as drogas: o alcoolismo.
Nossa preocupação, contudo, não é apenas com a liberação de bebidas alcoólicas nos estádios de futebol durante a Copa. Preocupa-nos também, por exemplo, o relatório a respeito da reforma do Código Penal apresentado na última semana por um grupo de juristas. Nele, reduz-se de 14 para 12 anos a idade para caracterização de estupro de vulnerável, tendo-se até cogitado a redução para 10 anos. Ora, isso é legalizar a pedofilia no País!
É muito interessante, e muito coincidente, Presidente Amauri Teixeira, que isso chegue a esta Casa às vésperas da Copa do Mundo. O que se pretende com isso? Aonde se quer chegar?
Esta Casa, que tem responsabilidade, que é permeada de homens probos e dignos, certamente não permitirá que prospere essa insensatez proposta no referido relatório.
A Frente Parlamentar Evangélica votará contra a venda de bebidas alcoólicas nos estádios de futebol, assim como a bancada da saúde, da qual faço parte, e a Frente Parlamentar da Família, da qual também faço parte.
Eu, particularmente, quero reafirmar minha posição absolutamente contrária à liberação de bebidas alcóolicas em estádios de futebol. Tenho apresentado nesta Casa iniciativas de projetos de lei que, visando promover o trânsito seguro, enfrentam o problema do alcoolismo no País. Portanto, refuto a liberação por considerá-la um retrocesso em relação ao que temos construído no enfrentamento das drogas e do alcoolismo.

Muito obrigado, Sr. Presidente e Deputada Liliam Sá.

Que Deus abençoe o Brasil.

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Receba nossas Informações