Roberto de Lucena lamenta a morte do torcedor Kevin Douglas Beltrán Espada, atingido por sinalizador durante jogo de futebol na Bolívia

Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, dias atrás, num estádio de futebol, na Bolívia, um garoto de 14 anos de idade morreu em decorrência de ter sido atingido por um sinalizador marítimo quando assistia a uma partida de futebol entre os times Corinthians, atual campeão do mundo, e San José, na cidade de Oruro.
Desde então, 12 brasileiros, torcedores corintianos, estão presos naquele país, acusados de terem responsabilidade no acontecimento.
Aqui, no Brasil, passados alguns dias, o adolescente H. A. M., 17 anos, se apresentou às autoridades locais, declarando-se o responsável pelo disparo do sinalizador que provocou essa tragédia.
O garoto que foi morto tem nome, chamava-se Kevin Douglas Beltrán Espada. Tinha pai, mãe, avós, parentes, amigos. Tinha sonhos. Foi para o estádio para uma festa e encontrou-se com a morte.
Lamento por ele. Lamento por sua família, me solidarizo. Eu sou pai e avô. Minha netinha, a Srta. Lívia, tem 5 anos de idade. Consigo perfeitamente me colocar no lugar dos pais e dos avós de Kevin.
Neste momento, eu grito por eles. E meu grito e o deles não é boliviano nem brasileiro. É um grito de pai e avô: até quando a violência continuará ocupando os estádios de futebol?
Quero crer que tenha sido um ato involuntário; que o jovem torcedor H. A. M., de 17 anos, não tenha intentado fazê-lo. Quero crer que ele não tenha apontado o sinalizador na direção da torcida adversária. Quero crer que tenha sido realmente uma lamentável fatalidade.
No entanto, o que aquele sinalizador estava fazendo lá? Nos estádios de futebol da América e da Europa já há muito não é permitida a entrada desses equipamentos. Aliás, a venda desse tipo de sinalizador não é facultada sem critério.
A torcida e o clube do Corinthians foram penalizados pela Confederação Sul-Americana de Futebol – CONMEBOL. Nos próximos jogos da Libertadores, o time jogará sem a presença da torcida nos estádios.
Sou favorável à punição, apesar de o Corinthians ser o time do meu coração e um dos mais queridos do Brasil.
Entendo que essa punição propicia-nos uma excelente oportunidade de reflexão acerca da segurança nos estádios. Medidas que reforcem a segurança nos estádios precisam ser tomadas. Que as famílias possam voltar a frequentar esses ambientes. Que possam levar seus filhos e netos aos espetáculos e terem a certeza de que não os levarão para casa carregados em macas ou caixões!
Muito obrigado, Sr. Presidente.
Era o que eu tinha a dizer.
Que Deus abençoe o Brasil!

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Receba nossas Informações