Roberto de Lucena discursa sobre os 66 anos de criação do Estado de Israel

Excelentíssimo senhor Presidente, senhoras e senhores deputados, autoridades presentes, convidados ilustres, é uma honra para mim representar o meu partido, o partido verde, nesta tão especial sessão solene, que rende justa e merecida homenagem ao Estado de Israel, em comemoração aos 66 anos de sua instituição, no dia 14 de maio de 1948, numa histórica sessão da Organização das Nações Unidas, presidida pelo brasileiro Dr. Osvaldo Aranha – um cumprimento da profecia de que seria a nação à nascer num só dia (Isaías 66:8).

Receba os meus aplausos a nobre deputada Fátima Pelaes, essa brilhante parlamentar, que mui dignamente representa nesta casa o povo do Estado do Amapá, por tão acertada e bela iniciativa.

Israel é um país jovem. Apesar de sua rica história milenar, tem apenas 66 anos de instituição. É uma nação amadurecida, uma democracia consolidada e uma potência com destaque no cenário mundial. E não apenas pelo seu reconhecido e temido poder bélico. Israel é uma potência mundial na cultura, na arte, na história, na ciência, na medicina, na engenharia, na agricultura.

Dentre os notáveis, os mais consagrados, e os mais brilhantes cérebros, estão filhos seus. São mais de 170 prêmios Nobel, nas áreas de literatura, medicina, química, física e economia. Além de vários Nobel da Paz.

Em seu território, mesmo enfrentando condições climáticas desfavoráveis à agricultura, Israel não só assegura seu próprio sustento como também auxilia outros países, inclusive o Brasil por meio de compartilhamento de tecnologias, técnicas e conhecimento.

Cultivar em áreas áridas não é possível sem um apoio hídrico artificial. Imagine aquele lugar onde o sol queima todo dia, onde as pessoas, animais e plantas sofrem com a falta de chuva e a poeira domina onde a água deveria estar.

Graças a técnicas desenvolvidas ao longo dos anos, Israel otimiza a pouca água que possui derivada de chuva, desenvolve maneiras sustentáveis de gerenciar o desperdício, aproveita recursos naturais como o mar e fontes subterrâneas, e desenvolveu, entre outros sistemas, estufas informatizadas que controlam, clima, água, fertilizante e umidade do solo.

A agricultura irrigada oferece a possibilidade de produzir em áreas outrora improdutivas usando métodos sustentáveis como a irrigação por gotejamento, evitando assim desperdício de água.

Para melhor assegurar a oferta hídrica, Israel também se destaca na dessalinização de água do mar, utilizando tecnologias de alta eficiência e baixo consumo energético.
Em Israel, 80% da água usada é reciclada e 90% dessa é utilizada na agricultura. As águas subterrâneas que não são propícias ao consumo humano são usadas na piscicultura ou na irrigação de plantas específicas e consumidoras desse tipo de água.

Que exemplo que o Estado de Israel dá para o mundo e em especial para o Brasil, de aproveitamento e conservação de suas riquezas naturais.
A revolução na agricultura não se limita à tecnologia israelense, estende-se também aos compromissos sociais através de programas como o Kibbutz, uma espécie de comunidade cooperativa que se dedica à agricultura de forma voluntária, compartilhando assim os lucros.

Estes são exemplos de combate à seca que podemos utilizar no Brasil, principalmente no Nordeste, que no ano passado sofre com uma das maiores secas nos últimos 50 anos. Descobertas e avanços científicos de Israel servem de inspiração para o mundo.

Israel é o deserto que floresceu. Israel é o milagre em forma de país! Israel produz grandes quantidades de flores, principalmente para exportação, e é um dos maiores produtores do mundo. Como se explica o deserto florescer desta forma?

A agricultura representa mais de 2,5% do PIB total de Israel e quase 4% das exportações. Eles produzem 95% dos produtos naturais consumidos dentro de Israel.
Só há uma explicação para tudo isso: estamos falando da Terra Prometida.

Na Bíblia Sagrada no Livro de Isaías, Capítulo 35, versos 1 e 2 encontramos a promessa de Deus para Israel, está escrito:
“O deserto e o lugar solitário se alegrarão disto; e o ermo exultará e florescerá como a rosa. Abundantemente florescerá, e também jubilará de alegria e cantará, a glória do Líbano se lhe deu, a excelência do monte Carmelo e na planície de Sarom; eles verão a glória do senhor, o esplendor do nosso Deus.

Então os coxos saltarão como cervos, e a língua dos mudos cantará; porque águas arrebentarão no deserto e ribeiros no ermo. E a terra seca se tornará em lagos, e a terra sedenta em mananciais de águas; e nas habitações em que jaziam os chacais haverá erva como canas e juncos. Eis que faço coisa nova, agora sairá à luz; porventura não a percebeis? Eis que porei um caminho no deserto, e rios no ermo”

Em nome dos israelitas e seus descendentes do meu estado de São Paulo, parabéns Israel por seus 66 anos!
Shalom! Paz sobre Israel.

Que o Deus de Israel abençoe o Brasil!
Peço Senhor Presidente, que seja esse pronunciamento divulgado em todos os meios de comunicação desta Casa.
Era o que eu tinha a dizer.

 

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Receba nossas Informações