Roberto de Lucena discursa sobre as enchentes em Santa Catarina e no Vale do Ribeira (SP)

Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, nos últimos dias, por meio dos veículos de comunicação do País, acompanhamos a situação de perda e dor da população do querido Estado de Santa Catarina, com as fortes chuvas que atingiram a Região Sul do País.
Quase 1 milhão de pessoas foram afetadas pelas inundações, em 99 cidades catarinenses. Temos notícia, até agora, de três mortes nas cidades de Itajaí, Laurentino e Guabiruba. Mais de 160 mil pessoas estão desalojadas e 16 mil desabrigadas. Pelo menos 28 cidades continuam sem comunicações. Sr. Presidente, quero unir-me às Sras. e aos Srs. Deputados que aqui representam o Estado de Santa Catarina e solicitar a esta Casa que se coloque à disposição do povo catarinense, fazendo o possível para minimizar o sofrimento de quem perdeu tudo com o desastre natural.
Parabenizo o Governo Federal, que, prontamente, já liberou recursos em caráter emergencial para a recuperação das cidades atingidas.
O importante é que essa ajuda seja feita sem prazo de validade, pois o trabalho de recuperação é longo, e as necessidades dos desabrigados são urgentes.
Este ano, as populações dos Municípios que fazem parte da Região do Vale do Ribeira, em São Paulo, também passaram por situação semelhante. Mais de 8 mil pessoas ficaram desabrigadas ou desalojadas, por conta das enchentes. Prontamente desenvolvemos uma série de ações.
Solicitamos à Companhia Nacional de Abastecimento (CONAB) a liberação de suprimentos, em caráter emergencial, para as cidades atingidas, pedimos ao Ministério do Trabalho a liberação do saque do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço para os trabalhadores da região castigada pelas cheias e solicitamos ao Ministério do Desenvolvimento Agrário a anistia das dívidas e a criação de novas linhas de crédito no âmbito do Programa Nacional de Agricultura Familiar (PRONAF) para os trabalhadores rurais da região do Vale do Ribeira.
Em audiência com a Presidenta Dilma Rousseff, entreguei-lhe pessoalmente as reivindicações dos Municípios castigados. A nossa Presidenta foi sensível à situação e encaminhou ao Ministério da Integração Nacional e à Secretaria de Relações Institucionais os pedidos de socorro emergencial para recuperação das cidades. Um gesto de atenção e solidariedade que todo governante deve ter.
Quero aqui, desta tribuna, fazer o registro do meu reconhecimento e da minha gratidão à nossa Presidenta Dilma Rousseff por essa prontidão com que nos atendeu e com que atendeu às reivindicações do nosso povo do Vale do Ribeira.
Espero, Sr. Presidente, que ações semelhantes sejam realizadas e que também atendam ao povo de Santa Catarina.
Caminho para finalizar, Sr. Presidente, mas eu gostaria apenas de registrar a minha preocupação com as mudanças climáticas pelas quais nosso planeta vem passando, influenciadas pelo comportamento humano, pelo consumo desenfreado, pela industrialização sem sustentabilidade e pela poluição aguda.
Se em algumas regiões falta água, em outras ela vem de forma extrema. Aliado à manutenção de desenvolvimento sustentável para evitarmos o superaquecimento de nosso planeta, sugiro que a Defesa Civil Nacional possa se aproximar mais da população, utilizando-se do Departamento de Resposta aos Desastres e Reconstrução (DRD).
Esse órgão, que tem incumbência de monitorar as mudanças climáticas e diagnosticar os possíveis fenômenos que trariam transtornos à população, poderia estar mais em consonância com as coordenadorias estaduais e municipais, e vice-versa, avisando e evacuando com certa antecedência as áreas de risco.
Tenho certeza, Sr. Presidente, de que, de forma organizada, poderemos minimizar os efeitos devastadores da fúria da natureza.
Quero, assim, prestar minha solidariedade ao povo de Santa Catarina neste momento de sofrimento e recomeço.
Era o que tinha a dizer, Sr. Presidente.
Muito obrigado.

 

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Receba nossas Informações