Roberto de Lucena declara apoio à aprovação do projeto que regulamenta o piso salarial nacional dos agentes comunitários de saúde e aborda a falta de esclarecimento do governo norte-americano sobre denúncias de espionagem contra cidadãos, autoridades e empresas brasileiras

Sr. Presidente, ilustre Deputado Amauri Teixeira, Sras. Deputadas, Srs. Deputados, em primeiro lugar, eu quero manifestar desta tribuna o meu apoio, o apoio da União Geral dos Trabalhadores, à regulamentação do piso salarial dos agentes comunitários de saúde. Quero conclamar esta Casa a se unir em torno dessa proposta e dizer aqui que o Partido Verde está em obstrução, até que possamos pautar e votar essa matéria.
Quero também dizer, Sr. Presidente, que eu abomino absolutamente, completamente, a mensagem antiamericana que muitas vezes é colocada desta tribuna, neste Plenário, e dizer do meu respeito pelos Estados Unidos, pela sua história, pelo seu povo, pelos seus valores democráticos. É um país que oferece ao seu povo e oferece aos estrangeiros a oportunidade de estabelecimento e de prosperidade em sua terra.
Mas eu quero aqui enaltecer a decisão da Presidente Dilma Rousseff de adiar a sua visita oficial àquele país em reação aos não esclarecimentos por parte do Presidente Obama em relação aos eventuais atos de espionagem que atentaram contra a nossa soberania nacional. Os esclarecimentos, que não foram feitos, foram aguardados com grande expectativa.
A Presidenta Dilma, que falou na abertura da Assembleia Geral da ONU, levou àquele Plenário a posição brasileira em relação ao lamentável episódio e manifestou a necessidade de se trabalhar um marco regulatório internacional.
Quero dizer que me senti plenamente representado como brasileiro. Quero dizer que me senti orgulhoso da posição do nosso País, através da Presidenta Dilma Rousseff, em relação à sua posição firme quanto a esse episódio – que repudio, que abomino, ainda que seja absolutamente contrário à ótica e à perspectiva de uma mensagem de reação aos Estados Unidos, uma mensagem antiamericana. Pelo contrário, nós temos laços profundos, históricos, que precisam ser aprofundados, precisam ser melhorados, precisam ser mais bem qualificados.
Eu espero, Sr. Presidente, que esse episódio lamentável, que não deve acontecer e não se deve repetir, sirva como inauguração de um novo capítulo, uma nova fase na história da relação com essa grande nação que é a nação americana, um povo que merece o nosso respeito, e com as relações diplomáticas internacionais.
Muito obrigado, Sr. Presidente.
Era o que eu tinha a dizer.
Que Deus abençoe o Brasil!

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Receba nossas Informações