Deputado Roberto de Lucena alerta que processo contra missionários no Senegal continua

Roberto de Lucena alerta que processo contra missionários no Senegal continua

 

Mesmo após o Tribunal de Recursos de Dakar ter concedido o habeas corpus a José Dilson da Silva e Zeneide Novaes, missionários brasileiros que estavam detidos há 05 meses no país africano, o processo contra eles continua e a igreja brasileira deve acompanhar a situação.

O alerta é do deputado federal Roberto de Lucena, integrante da Frente Parlamentar Evangélica que, desde que foi informado da situação dos missionários presbiterianos, levou o caso ao conhecimento dos Ministérios das Relações Exteriores, Justiça e Direitos Humanos.

No dia 06 de novembro de 2012, José Dílson e Zeneide foram detidos na cidade de Mbour e enviados a um presídio em Thies. A prisão ocorreu com base em acusações notoriamente falsas e todo o processo foi marcado pela forte suspeita de perseguição religiosa.

“O islamismo é predominante no Senegal. Hoje sabemos que a fonte da perseguição foi uma denúncia do pai de um menino atendido pelo projeto social dos nossos missionários presbiterianos. Ele acusou os brasileiros de abrigarem seu filho sem autorização e ensinar princípios cristãos. É um caso de perseguição religiosa”, lembrou Roberto de Lucena.

O parlamentar lançou luz sobre o caso por meio de discursos no plenário da Câmara Federal e cobrou posicionamento do governo brasileiro enquanto membro titular da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CREDEN). Além disso, Roberto de Lucena falou sobre o caso de perseguição religiosa na Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM).

“Nós trabalhamos em parceria com a Associação Nacional de Juristas Evangélicos (ANAJURE) pela libertação de José Dílson e Zeneide. Eu estive com o Ministro da Justiça, com o Ministro das Relações Exteriores e com a Ministra dos Direitos Humanos. E também levei o caso à Secretaria Geral da Presidência da República”, detalhou Roberto de Lucena.

Como resultado da pressão diplomática do Brasil, em 05 de abril último os missionários brasileiros foram libertados após o juiz do Tribunal de Recursos de Dakar conceder o pedido de habeas corpus. Porém, o processo contra eles ainda continua em curso no Senegal.

 

Ainda longe de casa

Conforme divulgou a Agência Presbiteriana de Missões Transculturais (APMT), até o final do julgamento, José Dilson e Zeneide não poderão deixar o Senegal, e deverão cumprir algumas obrigações como, por exemplo, se apresentar todos os dias na prisão de Thies.

Roberto de Lucena declarou que a igreja brasileira precisa retomar suas orações e olhar com atenção os cristãos no Senegal. “Os nossos missionários presbiterianos precisam saber que a igreja brasileira está com eles na luta e que não esquecemos seu sacrifício. De minha parte, continuarei a acompanhar e divulgar o caso em Brasília”, completou o parlamentar que tem colocado seu mandato e seu gabinete na Câmara dos Deputados à disposição dos missionários.

O deputado federal lembrou ainda que, quando da prisão dos missionários, ele havia saído de um tratamento de iodoterapia. “Eu estava recém-operado e com a imunidade baixa. Gostaria de ter ido ao encontro dos meus irmãos, mas infelizmente não pude. Porém, me senti perfeitamente representado pelos irmãos Magno Malta, Paulo Freire e Édino Fonseca que, como toda a Frente Evangélica, participam da luta conosco”, finalizou Roberto de Lucena.

 

 

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Receba nossas Informações