Deputado alerta para endividamento do consumidor com facilidade de créditos

Deputado citou o aquecimento da economia com a redução de impostos para a indústria automobilística

O deputado federal Roberto de Lucena (PV-SP) falou sobre sua preocupação com o endividamento da população brasileira diante das facilidades em se adquirir créditos.

Durante o pronunciamento desta terça-feira, dia 5 de junho, o parlamentar elogiou a atitude da presidente Dilma Rousseff e de sua equipe econômica que, frente à crise mundial, teve a ousadia de potencializar o crescimento econômico reduzindo o IPI dos carros novos. “Quero, no entanto, fazer algumas ponderações. A primeira delas é que uma medida como esta, desta importância, deveria vir acompanhada de uma conscientização da sociedade acerca de um problema que, a médio e a longo prazo, poderá representar um problema de ordem gravíssima para o Brasil: o endividamento da classe C. O endividamento dos consumidores, que hoje não está sendo devidamente avaliado e mensurado, pode transformar-se numa grande armadilha para nós no futuro”, alertou.

A outra ponderação destacada pelo deputado foi sobre a necessidade de conscientização a respeito da utilização do automóvel. “No meu Estado de São Paulo, por exemplo, em vias como a Marginal Tietê e a Rodovia Presidente Dutra, existe um grande fluxo de automóveis, sendo que em cada um deles há apenas um passageiro, o motorista. Tivemos o recorde de 295 quilômetros de congestionamento, situação que deve agravar-se nos próximos anos”, informou.

Roberto de Lucena encerrou seu pronunciamento destacando que o governo perdeu a grande chance de, nesta situação, fazer uma reflexão a respeito da indústria automobilística, que foi contemplada com o benefício da redução do Imposto Sobre Veículos: “Por que não foi chamada a indústria automobilística, tão poderosa, tão forte e pujante, a fazer a sua contrapartida? Poderíamos neste momento chamá-la a oferecer uma contrapartida socioambiental que refletisse no aprofundamento tecnológico, no investimento de novas tecnologias que a curto, médio e longo prazos, trouxessem benefícios para o País, para o meio ambiente e para o povo brasileiro”.

 

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Receba nossas Informações