Risco de arma de choque elétrico poderá ser discutido em Audiência Pública

Deputado Roberto de Lucena quer que Ministérios da Saúde e Justiça, Secretaria de Direitos Humanos e representantes da empresa fabricante do equipamento se pronunciem

O vice-líder do Partido Verde na Câmara, deputado federal Roberto de Lucena (SP) apresentou o Requerimento 4746/2012 à Comissão de Seguridade Social e Família, solicitando Audiência Pública para discutir os riscos da utilização das armas de choque elétrico, conhecidas como “taser”.

A solicitação foi feita no dia 27 de março, dias depois que o estudante brasileiro Roberto Laudísio Curti morreu após disparo da arma de choque em uma abordagem policial em Sidney, na Austrália.

Outro caso envolvendo morte de um homem de 33 anos em decorrência do uso do equipamento de imobilização ocorreu em Santa Catarina, no dia 25 de março. Diante dos fatos, o deputado disse estar preocupado com a declaração de especialistas apontando os riscos de morte que o equipamento apresenta.

Roberto de Lucena citou a entrevista do cardiologista Sérgio Timeman, do Instituto do Coração, ao Fantástico, alegando que a arma ser chamada de não letal é uma mentira. Segundo o especialista é uma arma de “baixa letalidade”.

“Além do choque, há a ação sequente que com a imobilização, a pessoa cai e pode bater a cabeça no chão, tendo traumas”, alertou. A solicitação da audiência deve ser votada na primeira semana de abril.

 

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Receba nossas Informações