Mais de dez mil participam do lançamento do Movimento Contra a Pedofilia

Cerca de onze mil pessoas, entre crianças, jovens e adultos de diferentes cidades de São Paulo e de outros Estados do Brasil, estiveram no sábado, 14, no parque Playcenter, em São Paulo, onde foi oficialmente lançado o Movimento Nacional Contra Pedofilia.

A data e o local foram escolhidos para coincidir com o “Dia da Celebração”, evento anual da Jubrac (Juventude Unida da Igreja O Brasil Para Cristo). O Playcenter foi aberto exclusivamente para a denominação, cujos jovens têm notável capacidade de mobilização.

Estiveram presentes o deputado federal Roberto de Lucena, idealizador da campanha, a vereadora Leonice da Paz, de Campinas, Adriana Feliz, presidente da Fenasp (Frente Nacional de Ação Social e Política) de Atibaia e a cantora Nívea Soares, entre outras lideranças.

O deputado detalhou as propostas de mudanças na lei que, na avaliação dele e de outras lideranças, flexibilizam a proteção contra abusos sexuais de crianças e adolescentes. Ele informou que um grupo de juristas responsável por sugerir mudanças no Código Penal apresentou um relatório no qual consta a proposta de redução da idade de estupro de vulneráveis de 14 para 12 anos.

“Este relatório reduz a idade de estupro de vulneráveis de 14 para 12 anos. E, durante as discussões, mencionou-se até a possibilidade de se chegar a 10 anos, numa movimentação clara e absurda de tentar a legalização da pedofilia no Brasil”, alertou Roberto de Lucena.

Movimento

O Movimento Nacional Contra a Pedofilia é um protesto contra tentativa de redução da idade de estupro de vulnerável de 14 para 12 anos, que foi inclusa na proposta de reforma do Código Penal e apresentada no Senado por um grupo de juristas.

Os organizadores da campanha estão se mobilizando para colher um abaixo-assinado que deverá ser entregue ao presidente do Senado, José Sarney, com objetivo de pressionar pela anulação de toda proposta que atente contra o bem estar das crianças e adolescentes.

Para tal, o movimento lançará o abaixo-assinado eletrônico num site específico. O presidente da Jubrac estadual, Júnior Vaz, afirmou que a juventude da denominação é solidária com a causa e vai se mobilizar para protestar contra as mudanças da lei.

“Não vamos deixar que os outros façam o que devemos fazer. Isso é nossa responsabilidade. Vamos fazer a diferença em São Paulo e no Brasil todo. A Jubrac vestiu a camisa do movimento e vamos continuar juntos”, declarou Júnior. 

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Receba nossas Informações