No Dia Internacional da Mulher, Roberto de Lucena lembra o caso Ceci Cunha

Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, na semana e no dia em que se comemora o Dia Internacional da Mulher, eu não poderia deixar de citar um caso que não pode ser esquecido no Brasil. Um dos casos mais brutais de violência contra a mulher de que se tem notícia, e, pior, contra uma mulher que dava voz a outras milhares de mulheres que a elegeram.
O brutal assassinato da Deputada Federal Ceci Cunha completou 13 anos. Ela teve a vida ceifada na noite em que foi diplomada pelo Tribunal regional Eleitoral de Alagoas.
Ao ver a declaração emocionada do jovem advogado Rodrigo Cunha, filho de Ceci, senti um grande alívio.
O filho de Ceci disse que não queria vingança pelas próprias mãos, mas que a justiça fosse feita e que os culpados fossem condenados. Era nisso que a família acreditava e foi isso o que aconteceu.
Os algozes da médica arapiraquense que se tornou Deputada Federal por Alagoas para dar voz a milhares de conterrâneos foi calada em um crime selvagem, que ficou conhecido como “Chacina da Gruta”, por ser o bairro onde aconteceu a barbárie.
O então suplente de Ceci Cunha, Talvane Albuquerque, foi condenado a mais de 103 anos por ser o mentor do crime, duplamente qualificado e por motivo torpe.
O caso Ceci Cunha nos faz pensar no que estamos suscetíveis e no que as pessoas são capazes em nome do poder.
O que seria um mandato de serviço à população e ao Brasil foi transformado em uma das páginas mais violentas e tristes da história política brasileira.
Esse episódio não deve ser esquecido e deve ser alvo de profunda reflexão aqui nesta Casa.
Venho expressar minha solidariedade à família da Deputada Ceci Cunha, que, mesmo de forma traumática e demorada, teve a resposta da Justiça, que foi rigorosa na punição dos cruéis assassinos da Parlamentar, que teve sua vida ceifada na noite em que foi diplomada.
Não só a família da Deputada Ceci está mais aliviada com o resultado do julgamento, mas toda a família brasileira que viu nesse caso um atentado contra a vida, contra a democracia e a vontade popular.
Em homenagem a Ceci Cunha, mantenhamos vivos os ideais de um Brasil melhor para todos. Que eles continuem vivos na memória do povo alagoano e do Brasil e que as Sras. e os Srs. Deputados e Senadores, cada membro do Congresso Nacional, esteja empenhado com a nosso compromisso histórico de enfrentar e vencer a violência doméstica e a violência contra a mulher no Brasil.

Era o que eu tinha a dizer.

Que Deus abençoe o Brasil.

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Receba nossas Informações