Não ao KitGay! Dilma suspende a distribuição e determina o debate

Roberto de Lucena em nome da Frente da Família

As bancadas Católica e Evangélica na Câmara dos Deputados, juntamente com a Frente Parlamentar Mista em Defesa da Família e Apoio à Vida, composta de 240 parlamentares, decidiram reagir diante da distribuição do material produzido pelo MEC nas escolas da rede pública em forma de vídeos e cartilhas com a proposta de combater a homofobia nas instituições de ensino.

Esse material foi apelidado de “kit gay” por fazer, na verdade, não o combate à homofobia, mas apologia ao homossexualismo.

Em reunião com as referidas bancadas na semana passada o ministro da Educação, Fernando Haddad, ouviu atentamente as ponderações dos parlamentares cristãos, viu o material e se comprometeu a compor uma Comissão de representantes da Frente Católica, da Frente Evangélica, da Frente da Família e da Comissão de Educação da Câmara, juntamente com técnicos do Ministério da Educação e representantes das instituições que elaboraram o material para análise e aprovação ou não desse kit.

No entanto ao sair do encontro com os deputados mudou sua postura e confirmou a disposição de dar sequência ao processo que levaria o kit gay às escolas.

Foi esse o motivo que levou as três frentes parlamentares, unidas, a deliberarem na, na terça 24/05, em reunião extraordinária, decisão de obstruírem a pauta de votação até que o Governo se posicionasse quanto ao assunto e exigiram em Plenário a exoneração do Ministro da Educação, anunciaram a instalação de uma CPI para apurar a existência de irregularidades no MEC e outras medidas.

A comunicação dessas deliberações em Plenário provocaram discussões acirradas entre os presentes e repercutiu no Governo.

Na manhã da quarta-feira 25, por determinação da presidente Dilma, o Ministro Gilberto de Carvalho recebeu representantes das Frentes Parlamentares para ouví-los a respeito do complexo tema e transmitiu aos presentes, no 4º andar do Palácio do Planalto, as palavras da Presidenta que disse ter, na noite anterior, visto pela primeira vez o material e que havia se sentido transtornada por reconhecer que o mesmo era inadequado. O ministro também informou que a Presidenta determinou a suspensão imediata de qualquer distribuição do kit gay nas escolas.

O deputado Roberto de Lucena, em nome da Frente Parlamentar da Família, da qual é vice-presidente, enfatizou ao Ministro Gilberto de Carvalho o posicionamento das Frentes: “Nós não somos homofóbicos. Somos contra a homofobia. Nada temos a ver com a opção de cada um, que é liberdade individual. Somos contrários ao “modus operandis” dessa campanha, que em vez de combater a homofobia, tenciona ainda mais as relações dividindo a sociedade e potencializando reações desnecessárias. Esse material é apologia ao homossexualismo. É pratica de abdução da consciência e do intelecto para uma cultura homossexual”, finalizou o parlamentar ressaltando que essas Frentes Parlamentares estão comprometidas ente si na condução de uma verdadeira cruzada nacional contra todos os tipos de preconceitos.

[nggallery id=15]

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Receba nossas Informações