Manifestantes do Centro de Ressocialização Thalita Cumi têm o apoio do deputado

Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, o que para muitos pode parecer loucura, para Rogério da Cunha Pereira, presidente do Centro de Ressocialização Thalita Cumi, da cidade de Guarujá, na Região Metropolitana da Baixada Santista, pode parecer um ato de desespero.
Ele e mais um grupo de ciclistas saíram de bicicleta, de Guarujá com destino a Brasília, num percurso de 1.187 quilômetros, para protestar contra a falta de recursos para a entidade presidida por ele, que atende jovens dependentes de drogas.
Há 4 anos a entidade recebia subvenção da Prefeitura da cidade, mas sob a alegação de que a instituição não estava de acordo com as normas da ANVISA, os recursos foram suspensos para 2012.
O fato é lamentável, já que as comunidades terapêuticas já enfrentam problemas e se mantêm apenas por doações. Essas comunidades são a esperança de muitas famílias que lutam para retirar seus filhos do mundo das drogas.
As drogas estão destruindo as famílias. Matéria publicada hoje pelo jornal Zero Hora mostra um estudo espantoso: quase 17 mil gaúchos se afastaram do trabalho por causa das drogas em 2011.
Ainda segundo a reportagem, a Previdência Social gastou R$107,5 milhões em 2011 para custear afastamentos do trabalho por dependência de drogas. Um contingente de 124.947 trabalhadores recebeu auxílio-doença tendo como causa o uso de substâncias químicas, o que inclui produtos ilícitos (cocaína) e lícitos (álcool).
Como vemos, Sr. Presidente, a luta e o protesto do Centro de Ressocialização Cumi são justos e merecem o apoio desta Casa.

Era o que tinha a dizer.
Que Deus abençoe o Brasil!

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Receba nossas Informações