Lucena solicita audiência pública sobre contaminação por chumbo em Santo Amaro-BA

Santo Amaro da Purificação é considerada a cidade mais poluída por chumbo no mundo, de acordo com estudos da Universidade Federal da Bahia (Ufba) e outras instituições. Distante cerca de 100 quilômetros de Salvador, por mais de três décadas, a Companhia Brasileira de Chumbo, Cobrac, subsidiária da empresa francesa Penarroya Oxide S.A. despejou na cidade 490 mil toneladas de rejeitos contaminados por esse e outros metais perigosos (cádmio, mercúrio e outros). O chumbo é associado ao saturnismo, doença que afina braços, provoca dores agudas por todo o corpo, causa impotência sexual nos homens, além de aborto nas mulheres ou malformações severas nos filhos nascidos. Desativada em 1993, a fábrica deixou um histórico de poluição e doença ainda sem o devido enfrentamento, como ficou patente nos depoimentos de diversos expositores.

Uma das líderes mundiais na produção de óxidos de chumbo, a Cobrac, produziu e comercializou cerca de 900 mil toneladas de liga de chumbo, em pouco mais de três décadas. Em 1993, ano em que a empresa encerrou as suas atividades, a escória ficou disposta a céu aberto, resultando na contaminação do solo e das águas.

Os danos causados ao meio ambiente tiveram como consequência a contaminação da população santamarense, principalmente os ex-trabalhadores e moradores do entorno da fábrica, que passaram a conhecer o saturnismo, uma doença que afina os braços, paralisa as mãos, provoca dores agudas, causa impotência sexual nos homens e aborto e má formação fetal nas mulheres. Por causa do excesso de metais na água e no solo, outras doenças também foram identificadas como anemia, câncer de pulmão, lesões renais, hipertensão arterial, doenças cérebro-vasculares e alterações psicomotoras.

Estudos e pesquisas sobre a contaminação divulgados nos chocam tanto com os graves dados postados como com as fortes imagens ilustrativas a exemplo do Relatório do Grupo de Trabalho Justiça Ambiental da Frente Parlamentar Ambientalista. Vidas foram e estão sendo ceifadas em virtude da contaminação. Adultos sequelados e crianças com deformidades convivem com o descaso e o abandono e a população da cidade vem sofrendo nos últimos 40 anos as consequências da poluição e a contaminação pelo chumbo e cádmio, em nível endêmico. Durante 33 anos de operação, a Companhia Brasileira de Chumbo (Cobrac), subsidiária da empresa francesa Penarroya Oxide S.A., contaminou o município do Recôncavo Baiano com milhões de toneladas de rejeito e cerca de 300 mil toneladas de escória (uma mistura de terra com alta concentração de chumbo). Por causa do excesso de metais na água e no solo, foram identificadas doenças como anemia, câncer de pulmão, lesões renais, hipertensão arterial, doenças cerebrovasculares e alterações psicomotoras.

O deputado Roberto de Lucena extremamente preocupado com essa situação que perdura por décadas, propôs a realização de audiência pública para debater a contaminação do solo por chumbo às Comissões de Seguridade Social e Família; e de Relações Exteriores e de Defesa Nacional irão à Santo Amaro da Purificação na Bahia. A data ainda não foi definida.

Serão convidados representantes dos ministérios da Saúde e do Meio Ambiente; o embaixador da França, Yves Saint–Geours; e um representante da Associação das Vitimas da Contaminação por Chumbo, Cádmio, Mercúrio e Outros Elementos Químicos (Avicca).

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Receba nossas Informações