Libertação do pastor Yousef Nadarkhani é comemorada pelo deputado Roberto de Lucena

Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, foi com muita alegria que recebi sábado, dia 8 de setembro, a notícia da libertação do pastor iraniano Yousef Nadarkhani, acusado do crime de apostasia. Yousef foi preso em 13 de outubro de 2009, depois de protestar contra a decisão do governo de forçar todas as crianças, incluindo seus próprios filhos cristãos, a ler o Alcorão. O pastor, inicialmente acusado de protestar, teve suas acusações posteriormente alteradas para a apostasia e o evangelismo aos muçulmanos. Em 2010, ele, um homem de 34 anos de idade, foi condenado à morte, e essa decisão foi confirmada pelo Tribunal Supremo do Irã no ano passado.
Desde então, o seu sofrimento tem sido compartilhado por milhares de cristãos em todo o mundo. De nossa parte, juntamente com a Frente Parlamentar Evangélica, encampamos diversas ações, a fim de concretizar a libertação do Pastor Yousef, visto que o Governo brasileiro mantém boas relações com o Irã e, nesse sentido, o nosso posicionamento a favor da libertação do pastor foi fundamental.
Sr. Presidente, por inúmeras vezes ocupamos esta tribuna, a fim de mostrar que o Brasil estava atento ao caso Nadarkhani. Acompanhado de outros Congressistas da Frente Parlamentar Evangélica, expressamos pessoalmente ao Sr. Embaixador do Irã no Brasil, Mohammad Ali Ghazizadeh, a nossa preocupação quanto à preservação da vida e ao bem-estar do pastor iraniano. Solicitamos um posicionamento à Presidenta Dilma Rousseff sobre o caso e também levamos a questão ao Ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota. Em certo momento, talvez de maior tensão nesse episódio, cheguei a propor que o Irã, se fosse o caso, expulsasse o pastor, porque nós o receberíamos aqui.
Tive orgulho de participar e de apoiar com veemência esse movimento e, juntamente com a Frente Parlamentar Evangélica, tenho certeza de que agimos de forma coesa, eficaz e positiva ao promover a discussão do caso em várias esferas, inclusive perante a comunidade internacional.
Durante a sua prisão, a campanha do Twitter Tweet para Yousef atingiu mais de 3 milhões de contas, com o intuito de divulgar em todo o mundo notícias e informações sobre o pastor. Segundo o Centro Americano para Lei e Justiça (ACLJ), a história de Yousef alcançou a cada dia 2.246.388 contas do Twitter na língua inglesa e 785.921 na língua portuguesa.
A libertação do Pastor Yousef Nadarkhani e, mais do que isso, a absolvição do crime a ele imputado representam a vitória da Justiça.
É, portanto, com o coração repleto de gratidão a todos os envolvidos neste movimento que recebemos a notícia de sua libertação. Desejamos que o reencontro do pastor com a família dele traga-lhe o conforto de que necessita para se recuperar desse grande desafio vivido nos últimos tempos e seguir em frente na sua edificante missão.
Que Deus abençoe os pastores em todo o mundo!
Que Deus abençoe o Brasil!

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Receba nossas Informações