Grupo pedala até Brasília em protesto sobre situação de casa de recuperação

Roberto de Lucena apoia a manifestação dos integrantes do Centro de Ressocialização Thalita Cumi

Um grupo formado por dez jovens do Centro de Ressocialização Thalita Cumi, que fizeram ou ainda fazem tratamento na casa, percorreram de bicicleta a distância de 1.187 km, com saída no Guarujá, no litoral de São Paulo, até Brasília, com o objetivo de sensibilizar as autoridades sobre a suspensão de verbas públicas para a manutenção das casas de recuperação de dependentes químicos no Brasil.

Sensível à causa, o deputado federal Roberto de Lucena (PV-SP) disse, em pronunciamento na Câmara, que o grupo liderado pelo pastor Rogério da Cunha Pereira, responsável pelo projeto, deu um exemplo de superação e amor ao percorrer a distância.

A entidade, que atende jovens dependentes de drogas, recebeu subvenção da prefeitura da cidade durante quatro anos, mas sob a alegação de que a instituição não estava de acordo com as normas da Anvisa, os recursos foram suspensos para 2012. “O fato é lamentável, já que as comunidades terapêuticas já enfrentam problemas por se manterem apenas por doações. Essas comunidades são a esperança de muitas famílias que lutam para retirarem seus filhos do mundo das drogas”, disse Roberto de Lucena.

Segundo Rogério da Cunha, a ida a Brasília já está valendo a pena para desmistificar uma imagem negativa dada às comunidades terapêuticas. “Fala-se muito que as casas de recuperação tratam mal seus pacientes. Como isso se justifica se um grupo de atendidos vem até a Brasília, de bicicleta, para defendê-las”, questionou Rogério.

O grupo ficará em Brasília até a próxima sexta-feira, dia 9 de março.

 

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Receba nossas Informações