Greves dos servidores federais preocupa deputado Roberto de Lucena

Sr. Presidente, peço a V.Exa. que considere como lido pronunciamento em que registro as minhas preocupações no que diz respeito às greves dos servidores federais. Já são cerca de 30 as categorias que estão com suas atividades paralisadas.
Ontem, Sr. Presidente, foi a vez dos servidores da Polícia Rodoviária Federal entrarem em greve. E os funcionários dos Correios também já assinalam a possibilidade de paralisação nos próximos dias.
É necessário que o Governo e que esta Casa se esforcem para o entendimento junto às centrais sindicais, a fim de que se encontre uma solução para esse impasse o mais brevemente possível, para que a população brasileira não seja mais prejudicada.
Muito obrigado, Sr. Presidente.

PRONUNCIAMENTO ENCAMINHADO PELO ORADOR


Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, o assunto que me traz hoje à tribuna não só me preocupa, mas também toda população brasileira, que se sente prejudicada com as sucessivas greves dos servidores federais. Já são trinta as categorias que estão com as suas atividades paralisadas.
O Brasil amarga uma paralisação de serviços essenciais para seu desenvolvimento econômico, sua estabilidade e para o dia a dia da população.
Só para se ter uma ideia, com a paralisação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), a importação de alimentos e de remédios não é processada. Em alguns hospitais e laboratórios, os estoques de medicamentos já estão no limite. Em alguns casos, já nem existem mais, e quem depende dessa importação para dar continuidade ao tratamento de saúde pode ter prejuízos irreversíveis.
O Governo ofereceu, em tempo de crise mundial, a proposta de correção de 15,8%, divididos em 3 anos. Algumas categorias pedem reajustes entre 35,53% e 151,27%. Apelo às centrais sindicais e ao Governo que entrem em acordo o mais rapidamente possível, para que os efeitos dessa paralisação, que já atinge 800 mil servidores, não prejudiquem ainda mais a população brasileira.
Ontem foi a vez dos servidores da Polícia Rodoviária Federal entrarem em greve. Os funcionários dos Correios também já assinalam a possibilidade de paralisação nos próximos dias.
Como vemos, Sr. Presidente, a situação é merecedora de atenção desta Casa porque a cada dia ela fica mais grave, desdobrando-se em consequências que afetam um número cada vez maior de brasileiras e brasileiros.
A greve não é boa para ninguém, mas é um instrumento legal a que os trabalhadores têm direito para reivindicar suas aspirações. Muitas vezes é o que resta para serem ouvidos.
E esse direito, é claro, precisa ser exercido com parcimônia, respeitando-se o cidadão e os interesses do País – que isso se observe! No entanto, que façamos todos a nossa parte – Legislativo, Judiciário e, principalmente, o Executivo -, para que se chegue a uma saída possível.
Que esta Casa possa servir de instrumento para o diálogo e para a solução de todos os impasses!
Muito obrigado.
Era o que eu tinha a dizer.
Que Deus abençoe o Brasil!

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Receba nossas Informações