Greve dos professores das universidades federais preocupa deputado Roberto de Lucena

Sr. Presidente, Sras. e Srs. Parlamentares, ocupo esta tribuna hoje para mostrar a minha preocupação com a situação que envolve técnicos e professores, que realizaram, durante todo o dia de ontem, uma paralisação de advertência nas universidades federais de todo o País.
Os trabalhadores reivindicam negociações com o Governo Federal, com base em uma pauta conjunta de sete itens, e uma reposição salarial emergencial de 22,08%.
O mais preocupante é que, se as negociações não avançarem, a greve será o caminho escolhido e deverá ser realizada no próximo dia 17 de maio.
Os alunos são castigados, Sr. Presidente, pela situação. As constantes greves atrapalham o andamento do ano letivo e prejudicam a vida escolar de milhares de estudantes. A greve não é boa para ninguém, mas é um instrumento legal a que os trabalhadores têm direito para reivindicar as suas aspirações.
Os servidores, em especial os professores, merecem ser valorizados, e valorizados adequadamente, pois representam uma categoria importantíssima para o País. Os estudantes merecem respeito e a continuidade dos serviços de educação.
Defendo o diálogo produtivo, rápido e decisivo entre o Governo e as categorias envolvidas, para que a greve não se concretize e não haja mais prejuízos para a já tão espezinhada educação brasileira.
É por meio da educação, Sr. Presidente, que haveremos de transformar este País. É por meio da educação que este País alcançará seu nível de desenvolvimento pleno e reconhecimento internacional, bem como a condição de promover justiça social e distribuição de renda e de superar os seus desafios. Devemos empreender todos os esforços para que governo, profissionais e estudantes possam usufruir de um sistema harmônico, com benefícios para todos.
Que esta Casa, Sr. Presidente, Sras. e Srs. Parlamentares, possa servir de instrumento para o diálogo e para a solução deste problema.

Muito obrigado, Sr. Presidente.
Era o que tinha a dizer.
Que Deus abençoe o Brasil!

 

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Receba nossas Informações