Em discurso, deputado volta a comemorar libertação do pastor iraniano e homenageia as crianças pelo dia 12 de outubro

Sr. Presidente, ilustre Deputado Izalci; Sras. e Srs. Parlamentares, na manhã de hoje, tive a oportunidade de receber, ao lado do ilustre Deputado Domingos Dutra, na Presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados, o Exmo. Sr. Embaixador Extraordinário e Plenipotenciário do Irã Mohammad Ali Ghanezadeh. Nessa importante visita, o Sr. Embaixador comunicou-nos oficialmente a absolvição e a libertação do Pastor iraniano Youcef Nadarkhani. O Pastor Youcef Nadarkhani estava no corredor da morte do Irã, acusado do crime de apostasia, e uma intervenção de membros deste Parlamento junto ao Governo brasileiro, que encontrou a sensibilidade governamental e construiu a interlocução com as autoridades daquele país, que merece o nosso respeito, pela sua tradição e pela sua história, trouxe-nos esse importante resultado.
Eu quero hoje não apenas comemorar esse acontecimento, mas também prestar uma homenagem a todo o povo iraniano, um povo forte, um povo determinado, um povo acostumado a superar inúmeras dificuldades ao longo dos anos. Com esse povo, eu quero comemorar a absolvição e a libertação do Pastor Youcef Nadarkhani, em nome desses milhões e milhões de brasileiros cristãos, que têm respeito pelo Irã e também amam a liberdade religiosa que existe em nosso País e a liberdade com a qual recebemos os irmãos iranianos que para cá vêm e aqui têm a liberdade de professar a sua fé e de praticar a sua religião.
Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, nesta semana comemoramos o 12 de Outubro. E, neste 12 de outubro de 2012, eu quero homenagear cada criança do nosso Brasil. Eu as homenageio na pessoa da minha netinha, a Srta. Lívia, de 5 anos de idade.
São elas, as crianças, o principal motivo da nossa luta e o principal motivo da nossa celebração diante do País que estamos, todos nós, ajudando a construir ou a reconstruir, a partir desta Casa. O País que consolida a sua democracia por meio dos processos eleitorais limpos, como o que vivemos neste momento, em que os eleitores dos 5.565 Municípios, que compõem as unidades federativas, foram às urnas para escolher os seus Prefeitos e Vereadores. O País que não aceita mais a infâmia da corrupção e que, cada vez mais, exige transparência e responsabilidade na gestão do dinheiro e dos bens públicos. O País que recupera, com a postura do Supremo Tribunal Federal no julgamento da Ação Penal nº 470, o sentimento de que a lei é igual para todos e de que todos são iguais perante a lei. O País que se une no esforço para tirar milhões de seus filhos da miséria – são milhões de brasileiros que viviam abaixo da linha da pobreza, e hoje estão vivendo com dignidade e respeito.
Respeito, Sr. Presidente, cada vez mais é também exigido da sociedade em relação à criança, à mulher e ao idoso, vulneráveis à violência doméstica, que ainda está, incompreensível e inaceitavelmente, traduzida em números elevadíssimos.
Ontem participei, no Salão Nobre da Câmara dos Deputados, do lançamento da Campanha Mulheres e Direitos – Violência e HIV, resultado da parceria entre a UNAIDS, a União Europeia, a UNFPA e a ONU Mulheres.
No Brasil, estima-se que uma em cada cinco mulheres já foi vítima de violência doméstica. De 1997 a 2007, mais de 41 mil mulheres foram assassinadas em nosso País.
Essa violência, praticada dentro de casa, no lar, não somente contra as mulheres, mas também contra as crianças e idosos, é dramática, horrível, terrível, covarde.
Lá, Deputado Reguffe, os holofotes não entram, mas entra a mensagem. E a mensagem que a sociedade brasileira está enviando a todas e a todos é a de que ela não mais aceita, não mais tolera isso, e reage a essa violência, e quer mudar este quadro.
Neste 12 de outubro, relembro, Deputado Renan Filho, a tragédia de Realengo. No dia 7 de abril de 2011, 12 crianças foram feridas e 12 crianças foram mortas por um rapaz de 23 anos, supostamente vítima de bullying na infância vivida naquela instituição de ensino.
Relembro esse fato pedindo a Deus que não nos deixe esquecê-lo, que nos dê sabedoria para aprender, com esse acontecimento, todas as lições e que não nos permita viver novamente essa dor.
Abraço o Mateus, um dos garotos feridos, um dos sobreviventes, que, à época, tinha de 10 para 11 anos. Ele disse, no encontro comigo na Câmara dos Deputados e, depois, numa visita que fiz à comunidade de Realengo, o seguinte: “O Wellington reagiu ao bullying matando, mas eu vou reagir ao bullying estudando, e vou ser advogado, e vou ser ministro”. Se Deus quiser, o Mateus será um bom advogado e um grande Ministro, que haverá de contribuir com o Brasil do futuro.
Abraçando o Mateus, eu abraço a Taiane, as demais crianças sobreviventes e as famílias daqueles que não sobreviveram ao massacre, ao ataque em Realengo, no Rio de Janeiro. São famílias, que, neste 12 de outubro, Dia das Crianças, certamente passarão, atravessarão, enfrentarão mais um momento de dor. É impossível que deixem de reavivar a memória dos doces momentos vividos com aquelas crianças, que foram enviadas para a escola saudáveis, vestindo seus uniformes, e foram devolvidas para as suas famílias dentro de caixões.
Eu me solidarizo, mais uma vez, com essas famílias, Deputado Júlio, pedindo ao nosso Deus que conforte os seus corações e a elas traga paz, e a elas traga força, para que enfrentem mais uma vez este momento.
Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, neste 12 de outubro, quero também homenagear a memória do meu pai. Ele foi pastor por 40 anos da Igreja O Brasil para Cristo, em Santa Isabel. Pastor Antônio Vieira de Lucena. Faleceu no dia 14 de outubro de 2010, apenas 11 dias depois da nossa eleição como Deputado Federal. Ele foi, Presidente Izalci, o melhor pai que uma criança poderia ter tido. Foi um paraibano que construiu sua história de homem simples, homem lutador, com muita dignidade e com muita honra. No início da sua vida, foi um pescador de peixes, mas depois se tornou, no último estágio da sua vida, por 40 anos, pescador de almas.
Neste 12 de outubro, declaro mais uma vez, Deputado Júlio, o meu amor pelo Brasil e por todas as crianças brasileiras e as homenageio em nome de toda a bancada do Partido Verde e em nome da União Geral dos Trabalhadores, da qual sou Vice-Presidente, com muita honra e com muito orgulho.
Que Deus abençoe a Srta. Lívia, que Deus abençoe todas as crianças do Brasil, de norte a sul, de leste a oeste, aquelas que, neste Dia das Crianças, poderão em alto estilo celebrá-lo, comemorá-lo – ganharão seus presentes e o carinho da família -, e aquelas crianças que passarão por este dia 12 de outubro em condições talvez menores do que essas. Que possam ser, e serão, os grandes brasileiros que construirão cada vez mais essa história bonita, essa história repleta de grandeza, essa história repleta de dignidade e de honra que o Brasil está escrevendo.
Que Deus abençoe o Brasil!
Sr. Presidente, Deputado Izalci, muito obrigado. Era o que eu tinha a dizer.
Que Deus abençoe a todos!
Um bom feriado. Um abraço a todas e a todos.

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Receba nossas Informações