Dia Internacional de Combate à Corrupção é tema de discurso do deputado Roberto de Lucena

Sr. Presidente, ilustre Deputado Amauri Teixeira, Sras. e Srs. Deputados, quero saudar, especialmente, a nossa ilustre Deputada Rosane Ferreira, do PV do Paraná, uma das mais atuantes e brilhantes Deputadas do nosso Parlamento, assim como o Deputado Luiz Couto, pelo seu pronunciamento oportuno e brilhante. S.Exa. é um tribuno sempre comprometido com a defesa dos direitos humanos.
Sr. Presidente, 9 de dezembro é o Dia Internacional de Combate à Corrupção. A data foi instituída para lembrar o enfrentamento de um dos maiores males com que a sociedade se depara nos dias atuais.
Desde o início do meu mandato, venho ocupando esta tribuna para chamar a atenção desta Casa para esse tema, que deve ser encarado com absoluta responsabilidade por todos nós.
A corrupção é responsável pela falta de recursos na saúde, na educação, na segurança pública e nos programas sociais. Ela entrava o crescimento do País e corrói os alicerces institucionais de nossa Pátria. É responsável pelo desvio de recursos que poderiam ser utilizados em construções de escolas, de creches e de hospitais, em obras de infraestrutura e na geração de emprego e renda.
Assim como qualquer doença, a corrupção deve ser tratada com um remédio eficaz. Neste caso, a punição severa ao agente público que a praticar deve ser um exemplo para que esse crime seja desencorajado, bem como a punição severa ao corruptor.
Nessa direção, como forma de contribuição a essa causa, apresentei o Projeto de Lei nº 2.489, de 2011, que tipifica a corrupção como crime hediondo.
A corrupção deve ser encarada por todos nós como o inimigo nº 1 desta Casa – como o inimigo nº 1 de cada uma das Sras. Deputadas e de cada um dos Srs. Deputados, de cada uma das Sras. Senadoras e de cada um dos Srs. Senadores. A sociedade espera que este seja, no mínimo, o nosso comportamento e o nosso procedimento.
Volto a suplicar, desta tribuna, que as iniciativas de legislação que estão tramitando nesta Casa e que visam ao combate à corrupção sejam efetivamente levadas a sério e possam encontrar, em todos nós, o respaldo e o apoio para que sejam aprovadas e saiam daqui em forma de resposta para a sociedade.
Nossa sociedade, Sr. Presidente, cansada de esperar por resultados, ocupa agora as ruas em todo o Brasil, com vassouras que simbolizam a faxina moral que o País necessita. Nos últimos anos, não aprovamos sequer um projeto de lei nesta Casa que trate do combate à corrupção.
A maioria dos manifestantes, na Marcha contra a Corrupção, é formada de jovens, que, preocupados com o seu futuro e o futuro de seus descendentes, buscam agora entrar no campo da discussão do tema. Eles querem chamar a atenção para o fato de que são não apenas o Brasil de amanhã, mas são também o Brasil de hoje. Eles querem que nossa geração faça o dever de casa e passe o País a limpo.
Que o combate à corrupção não seja apenas objeto de discursos e uma figura de retórica; e que façamos de cada dia no exercício do nosso mandato um dia de combate à corrupção, materializado em nossas ações e atitudes.
Que sejamos fiéis observadores e fiscalizadores da utilização dos recursos públicos, pois só assim estaremos contribuindo para a justiça social e para o desenvolvimento do nosso País.
Que Deus abençoe o Brasil.
Era o que eu tinha a dizer.
Muito obrigado, Sr. Presidente.

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Receba nossas Informações