Deputado Roberto de Lucena alerta para risco de mortes na fronteira com o Peru

O deputado federal Roberto de Lucena (PV-SP) apresentou nesta terça-feira (09), requerimento à Comissão de Relações Exteriores da Câmara dos Deputados, para que sejam solicitadas informações ao ministro da Defesa sobre o cerco feito por supostos narcotraficantes aos funcionários da FUNAI, no estado do Acre, na fronteira com o Peru, conforme noticiado pela imprensa nos últimos dias.

“Fomos surpreendidos no início da semana com notícia publicada em varias órgãos da imprensa que uma equipe da Fundação Nacional do Índio (Funai), que atua na fronteira do Acre com o Peru, distribuiu um alerta informando que estava cercada por traficantes peruanos armados que invadiram a base da Frente de Proteção Etnoambiental Envira, em Igarapé Xinane, no Acre, em julho”, disse o deputado Lucena que é presidente da Subcomissão Especial de Defesa das Fronteiras.

Entendendo que o assunto é grave e envolve o risco de morte de servidores públicos federais, além da possibilidade de massacre de membros de uma aldeia indígena, o deputado Roberto de Lucena também encaminhou pedido de informação à FUNAI e daquela Fundação recebeu uma resposta contendo dados preocupantes.

“Denota-se que o assunto já vem algum tempo sendo uma grande preocupação da Fundação Nacional do Índio, e assim entendo que a Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional e a Subcomissão Especial de Defesa das Fronteiras, dentro de suas atribuições, devem acompanhar o desfecho do lamentável episódio e buscar confirmações sobre evidência de atentado à soberania e a defesa nacional”, alertou o deputado.

O parlamentar afirmou ainda que algumas questões devem ser esclarecidas pelo Ministério da Defesa:  “Precisamos saber se além do narcotraficante português Joaquim Antônio Custódio Fadista, preso no último dia 03 de agosto na área, outras pessoa foram presas e  quais a nacionalidades.  Precisamos ainda saber se já foi elaborados relatórios ou documentos de atuação de narcotraficantes e madeireiros ilegais naquela região e se existem registros de homicídios e/ou outros crimes cometidos contra os moradores da região ou contra os indígenas cujas autorias são de criminosos de outras nacionalidades.” – questionou o parlamentar. Lucena em seu requerimento também solicitou informações ao Ministro da Defesa sobre as medidas já em vigor e as que serão tomadas para inibir a atuação dos criminosos internacionais na região.

Você pode conferir a íntegra do requerimento pelo link: http://migre.me/5suRH

 

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Receba nossas Informações