Deputado comemora reintegração dos 850 funcionários da Webjet

Deputado comemora reintegração dos 850 funcionários da Webjet

 

Nesta quinta-feira (05/09), o deputado federal Roberto de Lucena (PV/SP) celebrou a decisão unânime da 8ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho, da 1ª Região do Rio de Janeiro (TRT-RJ), que determinou que a companhia aérea Gol reintegre imediatamente os 850 funcionários da Webjet que foram demitidos em 2012. A desembargadora Maria Aparecida Coutinho Magalhães alegou que a Gol não poderia ter feito a demissão em massa sem antes negociar com o sindicato da categoria. O TRT também determinou a sentença sobre danos morais coletivos de 1 milhão de reais fixada em primeiro grau.

“Em novembro do ano passado, ocupei esta Tribuna para protestar em nome dos 850 profissionais da companhia aérea Webjet que foram atingidos de surpresa por uma demissão em massa. Agora, quase um ano depois de luta e de muito trabalho, para que o caso fosse solucionado da forma correta, finalmente a Justiça determinou a reintegração desses trabalhadores”, afirmou o deputado Roberto de Lucena.

Ao tomar conhecimento das demissões, ainda no ano passado, o parlamentar protocolou dois requerimentos na Câmara dos Deputados solicitando ao Ministro do Trabalho e Emprego e ao Ministro-Chefe da Secretaria de Aviação Civil da Presidência da República informações sobre as providências que seriam tomadas acerca da situação. “Não pude assistir a esse caos, a esse desrespeito com os trabalhadores de maneira inerte”, justifcou.

A Gol concluiu a compra da Webjet em outubro de 2011, por R$ 70 milhões, além de ter assumido dívidas de cerca de R$ 200 milhões. A aquisição foi aprovada pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) em 10 de outubro de 2012, condicionada ao cumprimento de um acordo para garantir um patamar de 85% de eficiência na operação dos slots do aeroporto de Santos Dumont, no Rio de Janeiro.

“Segundo funcionários da Webjet, quando a empresa foi comprada pela Gol, a informação a eles repassada era de que aguardassem um posicionamento da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para o remanejamento dos profissionais. A demissão em larga escala sempre foi uma alternativa descartada pela Gol, mas não foi isso o que vimos”, afirmou o deputado.

 

Foto: Nelson Antoine/Futurapress (extraída do site da Veja)

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Receba nossas Informações