Roberto de Lucena comemora aprovação de reajuste para servidores

Roberto de Lucena comemora aprovação de reajuste para servidores

 

O deputado Roberto de Lucena comemorou a aprovação pelo Plenário da Câmara dos Deputados das 12 emendas do Senado ao Projeto de Lei 4904/12, do Executivo, que reajusta, em cerca de 15%, os salários de carreiras que aceitaram negociar aumentos de remuneração depois do fim da rodada de negociações, em agosto de 2012. A matéria, agora, será enviada para sanção.

As emendas excluíram as mudanças feitas pela Câmara no texto e retiraram as carreiras da Superintendência de Seguros Privados (Susep) do pagamento por meio de subsídio. “Mas esse subsidio, segundo o deputado Amauri Teixeira, será negociado posteriormente”, explicou Roberto de Lucena.

 

Parcela em 3 anos

Segundo o deputado, o aumento dado pelo projeto abrange sete carreiras federais e beneficia também bombeiros e policiais civis e militares dos antigos territórios federais, assim como pensionistas da polícia e da carreira de bombeiros militares do antigo Distrito Federal. “Mas esse reajuste será parcelado em três anos”, ressaltou.

As carreiras e cargos abrangidos pelo projeto são: auditores fiscais da Receita Federal do Brasil; auditores fiscais do Trabalho; analistas tributários da Receita Federal; analistas e técnicos do Banco Central; analistas e especialistas em Infraestrutura; analistas e agentes executivos da Superintendência de Seguros Privados (Susep) e da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e carreiras e cargos de Reforma e Desenvolvimento Agrário.

 

Agências Reguladoras

O deputado Roberto de Lucena lamentou, no entanto, a falta de reajuste para os servidores das Agências Reguladoras. “Esta matéria é de igual importância para esses trabalhadores e nosso mandato continuará na busca de uma solução para este impasse”, disse o deputado. Segundo o parlamentar, ele mesmo tentará uma agenda com o Poder Executivo para discutir o pleito dessa categoria de servidores. Segundo o sindicato da categoria, a proposta que o governo apresentou, no ano passado, tinha distorções salariais e a tabela destoou muito do aumento de 15,8%. Com as distorções nas remunerações, alguns servidores teriam aumento de apenas 0,46% no primeiro ano.

 

Foto: Saulo Cruz/Câmara dos Deputados

 

 

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Receba nossas Informações