Seguridade Social aprova Audiência Pública sobre armas de choque

Requerimento do deputado Roberto de Lucena quer discutir os efeitos e riscos do equipamento

A Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara dos Deputados aprovou, por unanimidade, o Requerimento nº 4746/2012 do deputado federal Roberto de Lucena (PV-SP) que propõe uma Audiência Pública para discutir os riscos e os efeitos das armas de choque elétrico, conhecidas como taser.

A solicitação ocorreu após a morte de duas pessoas que foram atingidas pelo disparo do equipamento. A primeira vítima foi o estudante brasileiro Roberto Laudísio, que foi atingido por policiais da cidade australiana de Sidney e morreu a caminho do hospital. A segunda vítima foi um homem de 33 anos, de Porto Alegre, que não resistiu aos efeitos da arma disparada por policiais militares. Diante dos fatos, o deputado Roberto de Lucena disse estar preocupado com a declaração de especialistas apontando os riscos de morte que o equipamento apresenta.

O parlamentar citou a entrevista do cardiologista Sérgio Timeman, do Instituto do Coração, ao Fantástico, alegando que a arma ser chamada de não letal é uma mentira. Segundo o especialista é uma arma de “baixa letalidade”. “Além do choque, com a imobilização, a pessoa cai e pode bater a cabeça no chão, tendo traumas”, alertou o deputado.

Por solicitação do deputado João Campos (PSDB/GO), a audiência pública deve ser realizada conjuntamente com a Comissão de Segurança Pública em data a ser definida.

 

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Receba nossas Informações