fbpx

Roberto de Lucena repudia decisão da Unesco contra o povo judeu

cidade-jerusalemNa última semana, a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) aprovou uma resolução afirmando que o povo judeu não tem ligação com o Monte do Templo e com o Muro das Lamentações, locais sagrados e históricos localizados na cidade de Jerusalém. Em discurso no plenário da Câmara Federal, o deputado Roberto de Lucena (PV/SP) manifestou o seu total repúdio a esta decisão. “É realmente uma atitude lastimável, da qual eu repudio veementemente! Muito mais do que uma questão diplomática, envolvendo a administração de territórios, está evidente aqui o repúdio a um dos povos mais antigos do mundo: o povo judeu. Este Parlamento não deve se abster às decisões internacionais que envolvem o nosso país. É preciso reconhecer os vínculos religiosos do povo judeu com os lugares santos da Cidade Velha de Jerusalém, até mesmo para amenizar os conflitos existentes entre as nações do Oriente Médio”.

O parlamentar ficou estarrecido com a notícia de que o Brasil, por intermédio do governo Dilma, havia apoiado essa moção iniciada pelos palestinos, votando inicialmente contra Israel, em uma questão apresentada pelas representações árabes da Argélia, Egito, Líbano, Marrocos, Omã, Catar e Sudão. Recentemente, o atual ministro das Relações Exteriores, José Serra, informou que o Brasil voltou atrás no voto dado pelo governo anterior. “Vivemos sob o discurso da intolerância, em uma crise humanitária formulada pela quebra de princípios, pela relativização de valores. Vivenciamos diariamente o derramamento de sangue de milhares de inocentes em todo o mundo. Oro e espero sinceramente que esta resolução da Unesco seja totalmente revista. O respeito ao próximo sempre foi um dos princípios basilares para a construção e o aprimoramento da Humanidade”, afirmou Roberto de Lucena.

Texto: Izys Moreira – Assessoria de Imprensa
Foto: ASCOM CD