fbpx

Roberto de Lucena é favorável a PEC 241

Entrevista com dep. Roberto de Lucena

“Depois de analisar todos os argumentos favoráveis e contrários, concluí que, ou aprovamos essa PEC 241, ou criamos um novo imposto para reequilibrar as contas públicas. E sobre isso, não há a menor possibilidade de apoiarmos a criação de um novo imposto ou o aumento de impostos”, afirmou o deputado federal Roberto de Lucena (PV/SP), sobre a proposta enviada pelo Governo Federal para o Congresso Nacional, limitando os gastos públicos.

Para o parlamentar, essa é a única saída que o país tem de evitar um colapso fiscal e reequilibrar as contas públicas. “A PEC 241 institui o Novo Regime Fiscal. O seu objetivo é limitar gastos. Não podemos continuar gastando mais do que arrecadamos. É um expediente necessário!”.

Roberto de Lucena destaca que a dívida bruta do Governo Geral aumentou de 52,7% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2013 para 67,5% do PIB em abril de 2016. “Hoje estamos no ‘cheque especial’, com aproximadamente 170 bilhões de reais em dívidas. Acreditamos que em cinco anos, se tudo der certo, sairemos do cheque especial, e com a retomada do crescimento econômico e com as contas públicas organizadas, poderemos inclusive voltar a discutir essa matéria”, afirmou o deputado destacando que, no texto do relatório, há a previsão de rediscutir este assunto em 10 anos.

“Os recursos recebidos pelo Estado são o resultado do suor de cada brasileiro, portanto racionalizar a administração pública é respeitar o nosso cidadão, que é quem custeia a máquina pública. A PEC não impõe cortes abruptos, apenas limita o crescimento das despesas a longo prazo, que serão corrigidas pela inflação. Saúde e educação não sofrerão cortes, mas ajustes. É um remédio muito forte, amargo até, mas precisamos, todos nós, que dê certo! Essa é a chance do Brasil!”, finalizou Roberto de Lucena.

Texto: Izys Moreira – Assessoria de Imprensa
Foto: Gabriela Korossy/ ASCOM CD