fbpx

Projetos voltados a idosos no RS podem ser trazidos à Câmara

img201610111026493760953

Luiz Gustavo Xavier/Câmara dos Deputados

A Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa visitou o Rio Grande do Sul para conhecer experiência exitosas em políticas públicas implementadas para a terceira idade.

Os parlamentares Roberto de Lucena (PV-SP) e Leandre (PV-PR) foram a Porto Alegre e a Veranópolis para buscar informações sobre o envelhecimento ativo e trazer exemplos de políticas públicas para serem discutidas e aperfeiçoadas no Parlamento.

O Instituto de Geriatria do Hospital da PUC-RS busca realizar diversos programas voltados à qualidade da vida da população idosa. A chefe do serviço de geriatria do hospital, Maria Cristina Berleze, afirmou que uma das ações envolvem o reforço da memória e da saúde.

“Os idosos gostam muito porque é uma atividade na qual trabalhamos, por meio de uma dinâmica, memória, comportamento, aptidões pessoais, atividades físicas e dieta saudável; além disso, a atividade aproxima o hospital da universidade”, afirmou Berleze.

A médica destacou que, em muitos casos, os médicos prescrevem música para os pacientes com problemas de memória. “Ficou evidente o benefício terapêutico da música, não qualquer música, mas uma que faça sentido para essa pessoa. Faz diferença no olhar que a própria equipe de saúde passa a ter com essas pessoas. Esse despertar que a música proporciona demonstra que temos ali um indivíduo íntegro, que tem a sua história e seu passado. Isso muda o olhar para que própria equipe de saúde direcione o cuidado, e muda o olhar da família, que reconhece ali a pessoa amada, reconhece o pai e a mãe que têm a sua história”, destacou a médica.

Projetos

O diretor do Instituto, Nilton Luiz Terra, também apresentou aos deputados da comissão alguns projetos, criados pela universidade, como o programa Amigo do Idoso, que pode atender até dois milhões de idosos em 497 municípios do estado.

“É a cidade que adapta suas estruturas e serviços, para que fiquem mais acessíveis a pessoas idosas com diferentes necessidades. Essa é a proposta que apresentaremos à Secretaria de Cidadania e Direitos Humanos e à comissão, a fim de que nos ajudem a implementar esse programa no Rio Grande do Sul. Aceito o projeto, faz-se uma análise sobre as necessidades, e a partir daí a gente consegue ajudar o município, para que tenha ações voltadas ao processo de envelhecimento”, explicou Terra.

Veranópolis

Os deputados também visitaram o município de Veranópolis, localizado na Serra Gaúcha e conhecido como a terra da longevidade. Com 24 mil habitantes, Veranópolis possui 15% de sua população acima de 60 anos – no restante do País, a média é de 10%. E é um dos municípios com o maior número de idosos acima de 90 anos. A explicação, segundo pesquisadores do Instituto de Geriatria da PUC-RS, é que lá se observam hábitos saudáveis.

O prefeito de Veranópolis, Carlos Alberto Spanhol, afirmou que o trabalho realizado no município já tem mais de 20 anos e envolve várias gestões municipais. “É um contínuo de avanço nas questões de mobilidade urbana, de reconhecimento, no âmbito dos medicamentos, na orientação sobre saúde, na questão social, porque temos que respeitar o idoso”, destacou.

Agenda pública

O presidente da comissão, deputado Roberto de Lucena, considerou a visita positiva. “A Câmara dos Deputados assumiu essa agenda como compromisso, porém, mais do que isso, viemos aprender com eles. Aprender como se faz para se ter uma cidade onde há uma marca importante de longevidade alcançada pelo seu povo, pelos cidadãos”, disse.

A deputada Leandre afirmou que é preciso priorizar políticas públicas para garantir o envelhecimento com mais qualidade de vida.

“É necessário que o governo também assuma essa pauta, que priorize as pessoas idosas, mas que entenda que o envelhecimento é um processo. É com políticas públicas focadas na primeira infância, na juventude, na vida adulta que a gente terá uma qualidade de vida melhor ao longo da vida, porque você vai colher agora o que plantou durante a vida toda”, disse a parlamentar.

Reportagem – Luiz Gustavo Xavier
Edição – Sandra Crespo