fbpx

“Iniciamos uma nova fase no Brasil. A travessia será longa, mas acontecerá” afirma Roberto de Lucena sobre a posse de Temer

31ago16_deputado, temer e o gilbertoApós o Senado afastar definitivamente Dilma Rousseff do comando do Palácio do Planalto, o presidente do Congresso Nacional, Renan Calheiros (PMDB/AL), deu posse na tarde desta quarta-feira (31) a Michel Temer como o novo Presidente da República. O deputado federal Roberto de Lucena (PV/SP) esteve na solenidade de posse realizada no plenário do Senado Federal e cumprimentou pessoalmente o novo presidente.

O parlamentar paulista acompanhou de perto, durante toda a semana, o processo de impeachment de Dilma Rousseff. Para Lucena, foi importante passar por esse processo de forma justa e legítima. Segundo ele, agora o Brasil poderá enfrentar a sua própria agenda legislativa que estava suspensa em razão do impeachment, retomar o seu projeto de crescimento e enfrentar as suas crises.

“Hoje, nós estamos iniciando uma nova fase. Estamos virando uma página e entrando em um novo capítulo da história do nosso país. No dia seguinte, no dia de amanhã, não teremos um Brasil diferente. Temer assume o país em um momento que estamos em um período de muitas dificuldades, especialmente dificuldades econômicas. A travessia para um país melhor precisa e vai acontecer. Mas essa travessia é longa e o remédio é amargo. Nós precisamos mais do que nunca de um pacto, da união de todos os setores da sociedade, porque o barco não tem como afundar só para um: ou ele afunda para todos ou todos se salvam”, afirmou o deputado.

Roberto de Lucena, que é presidente da Comissão dos Direitos da Pessoa Idosa (CIDOSO), vice-presidente Nacional da União Geral dos Trabalhadores (UGT) e membro titular da Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público (CTASP), reforçou o seu apoio ao governo. “Serei uma trincheira, especialmente neste momento em que se traz para o Congresso Nacional a discussão da reforma previdenciária, da reforma trabalhista e outros temas complexos. O que estiver ao meu alcance para fazer com que o atual governo e o país deem certo, eu farei, porém, já escolhi o lado que quero ficar: o do trabalhador, do aposentado e do povo brasileiro”, enfatizou o parlamentar.

Texto: Izys Moreira – Assessoria de Imprensa