fbpx

CIDOSO vai ao Ministério da Justiça pedir apoio para criação da Secretaria Nacional da Pessoa Idosa

editadaimg_9448_escolhidaO presidente da Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa (CIDOSO) da Câmara dos Deputados, deputado Roberto de Lucena (PV/SP), e a vice-presidente da CIDOSO, deputada Leandre (PV/PR) estiveram reunidos com o secretário Executivo do Ministério da Justiça, José Levi Júnior, na tarde da última terça-feira (18).

editadaimg_9182_escolhidaA comitiva da Comissão do Idoso esteve solicitando o apoio do Ministério da Justiça e Cidadania junto à Presidência da República para a criação da Secretaria Nacional de Promoção e Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa no âmbito deste ministério. A proposta da criação foi sugerida pela deputada Leandre. “Precisamos oportunizar um ambiente técnico e político favorável ao debate de questões relacionadas a essa parcela tão relevante e merecedora dos maiores cuidados”, afirmou.

editadaimg_9495_escolhidaA criação do órgão no âmbito do Poder Executivo já conta com o apoio do Conselho Nacional dos Direitos dos Idosos (CNDI) e da Associação Nacional de Membros do Ministério Público de Defesa dos Direitos dos Idosos e Pessoas com Deficiência (AMPID). Para o presidente da CIDOSO, a criação da secretaria da pessoa idosa é de grande importância para o atual cenário político e demográfico brasileiro. “O aumento da expectativa de vida do brasileiro é uma conquista, porém nos traz a necessidade de agilizarmos políticas públicas adequadas para atendermos esse segmento da população”.

editadaimg_9525_escolhidaNo Brasil, entre 1991 e 2011, a população idosa mais que dobrou, atingindo um total de 23,5 milhões de pessoas. Em 2014, esse número já alcançava 28 milhões, ou seja, 13,7% da população brasileira. Estima-se que em 2055 haverá no país, pela primeira vez, mais idosos do que pessoas de até 29 anos de idade. A expectativa de vida do brasileiro subiu de 33,7 anos em 1900, para 75,4 anos em 2014. A taxa de fecundidade caiu de 6,16 filhos por mulher para apenas 1,57 entre os anos de 1940 e 2014.

Texto e foto: Izys Moreira – Assessoria de Imprensa